Frederico Bussinger

PERISCÓPIO 40: “Por que parou? Parou por que?”

Frederico Bussinger De certa forma até irônico: enquanto naquele 5/SET um concorrido painel da “25º Semana de Tecnologia Metroferroviária” (AEAMESP) discutia planos de expansão de metrô e ferrovia na RMSP, os sites noticiosos começaram a informar que “Governo do Rio decide aterrar estação Gávea do metrô, parada há quase 5 anos”. Motivo? “Para concluir a […]


PERISCÓPIO 39: “Quem disse que o ótimo é inimigo do bom; sempre?”

Frederico Bussinger Também soou como “break news” (pela Ecovias) no evento (FIESP) que discutiu a nova ligação seca trans-Estuário: “Mais infraestrutura, sem cobranças adicionais”. E “os veículos poderão optar por uma das três alternativas de travessia com a mesma tarifa”. Afinal, prevê-se ou não pedágio para uso da ponte? A forma rebuscada deixou dúvidas e […]


PERISCÓPIO 38: “Ponte? Túnel? Qual é mesmo o problema?”

Frederico Bussinger “No método científico, tão ou mais importante que demonstração é a formulação de hipóteses” (Poincaré) Que Ecovias destacasse as virtudes da alternativa-ponte e Codesp as do túnel era esperado. Mas elas foram além; com contribuições relevantes de ABTP e SOPESP. Ao final do recente evento da FIESP, a sensação reinante era que o […]


PERISCÓPIO 37: “Por que as hidrovias não deslancham?”

Frederico Bussinger A pergunta do título foi tema de oportuno e concorrido seminário que o Instituto de Engenharia de São Paulo vem de promover; transmitido por internet, com milhares de acessos, inúmeros do exterior. A provocação tem um lado de “copo meio cheio”. P.ex, a Hidrovia Tietê-Paraná – HTP, pode surpreender a muitos, é o […]


Periscópio 36: “Privatização portuária: propostas na mesa!”

Frederico Bussinger (*) “O que não é explicitado, não pode ser tratado” (Dos psicanalistas) “Do sincrético, pelo analítico, ao sintético” (Nicéa: professora de didática; minha mãe) No 1º semestre o BNDES (agente do PPI para “estruturação de contratos de parceria e de medidas de desestatização” – modelagem) contratou consultoria para a privatização da CODESA (portos […]


PERISCÓPIO 35: “O que e como se intenta privatizar nos portos?”

Frederico Bussinger “Para todo problema complexo existe sempre uma solução simples, elegante, plausível e completamente errada” (H.L.Mencken). Noticiava-se privatização. Mas quando da realização do recente leilão portuário na B3 o Min. Tarcísio esclareceu que a ideia é abrir-se o capital da CODESP. O Gov. Dória fala amiúde em privatizar o Porto de Santos; inclusive vem […]


PERISCÓPIO 34: “Uma Logística multimodal para competitividade do Matopiba”

Frederico Bussinger (*) “No meio do caminho tinha uma pedra;  tinha uma pedra no meio do caminho…” [Carlos Drummond de Andrade] Há fome no Mundo. Há gente passando fome no Brasil. Falta de alimentos não é causa única. Mas é paradoxal, até cruel, constatar-se que sem derrubar uma única árvore (só com áreas hoje sub/não […]


PERISCÓPIO 33: “Após alcançar; o desafio da ferrovia é entrar no porto”

Frederico Bussinger “O problema das consequências é que elas vêm sempre depois” (Conselheiro Acácio – “Primo Basílio” – Eça de Queiros”) Realização dos icônicos “100 dias”, a concessão da FNS vem de ser firmada em concorrida cerimônia pública. Ela é saudada como a “espinha dorsal do sistema ferroviário brasileiro”; “novo impulso para Santos”; e uma […]


PERISCÓPIO 32: “Cabotagem; com plano de navegação?”

Frederico Bussinger O governo federal vem de lançar o “BR do mar”. O programa, que resgata lema da retomada da cabotagem, em meados dos anos 90, visa acelerar seu desenvolvimento; hoje já com 84 embarcações dedicadas, sendo 17 conteneiros. Em 2018 ele foi responsável pela movimentação de 163 Mt e 1,35 milhões de contêineres: 11% […]


PERISCÓPIO 31: “Uma ponte para outro amanhã?”

Frederico Bussinger O fato é local. Mas a repercussão pode ser nacional. Nova ligação seca Santos-Guarujá é o tema. Mas a travessia até concretizá-la pode legar lições sobre a importância de análises mais racionais, debates mais embasados, e processos decisórios mais transparentes, participativos, conclusivos e consequentes. E, no momento em que setores, arranjos e práticas […]


 
Translate »