Skip to content

Editorial

Memorial de Natal!

Se dirigiram a Belém, na região da Judéia, porque José era descendente de Davi e deveria fazer o recenceamento na Cidade de origem de sua família. Junto com Maria, sua esposa, foram de Nazaré até Belém, atravessando  praticamente toda a Palestina. Foi uma viagem de mais de 120 km. Caminhavam a pé. Somente um burrico de apoio à Mária, grávida já de nove meses.

O censo romano que obrigou todas as pessoas a se agruparem nas principais localidades, fez com as casas recebessem muita gente lotando vilas, estalagens e hospedarias. Quando Maria e José chegaram a Belém restava quase nenhuma opção.

Naquelas circunstâncias, com um bebezinho prestes a nascer, acabaram aceitando pousada e alimento de agregados de sua família. Pessoas simples, agricultores e pastores que habitavam próximo, em casas simples, com dois andares e chão de terra batida. A parte de cima era usada para moradia. E na parte de baixo estava o local onde recolhiam os animais à noite. Para protegê-los, evitar que fossem roubados e manter a casa aquecida com o calor que emanava de seus corpos.

Mantinham um quarto de hóspedes, ao lado da sala comum da família, no térreo, perto da porta, onde havia uma mesa e comida para viajantes e hóspedes. Bem próximo, ficava uma manjedoura também com comida e bebida para os animais. Assim dispostos os ambientes, o quarto de hóspedes ficava na frente da casa e o abrigo de animais na parte de trás.

Essa foi a situação em que ficaram hospedados Maria e José. Foi também neste local que se completou a gestação de Maria. E ali, vestido de alguns poucos panos, colocado numa manjedoura forrada de peles de animais, Jesus nasceu!

Vários sinais e maravilhas ocorreram por ocasião do nascimento de Jesus! Pastores recebem aviso dos céus para irem visitar o menino que estava numa manjedoura no local indicado por uma estrela brilhante. A mesma estrela que guiou três reis, magos do oriente, até Belém para encontrar o menino. O cumprimento de várias profecias do Antigo Testamento que apontam a época, o local e as circunstâncias pelas quais nasceria o Messias, pode ser verificado. E um coro de anjos celestiais anuncia o nascimento de Jesus. “Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lucas 2:10-11). “Então, no mesmo instante, apareceu uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e cantando a uma só voz: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra aos homens de boa vontade” (Lucas 2:13-14).

Mas, além das circunstâncias inusitadas para seu nascimento, o que faria desse menino uma criança especial?

Jesus foi enviado por Deus para que os homens pudessem se reconciliar com nosso Criador. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho para que todo que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3, 16). Ele cumpriu sua missão. Realizou muitos milagres, curou muita gente das mais diversas enfermidades, abriu os olhos aos cegos, recuperou os coxos, abriu os ouvidos aos surdos e, ao final, morreu pela salvação dos homens. Esses fatos são divulgados no mundo inteiro, hoje por diversos meios, para que ninguém possa alegar ignorância. E por meio da fé em Jesus, se aproximar de Deus e desfrutar de vida eterna.

Em caso de dúvida, as Sagradas Escrituras podem ser consultadas. Ali estão relatados e comprovados diversos fatos. Incluindo este maravilhoso nascimento de Jesus que dividiu a humanidade em antes e depois Dele.

Pode-se acreditar (ou não) nesta história. Ou simplesmente achar que é um bonito conto de Natal. A vida é feita de escolhas. Faça a sua.

Feliz Natal!

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email